Otimização da seção de pilares – Parte 2 - AltoQi Eberick Next

Otimização da seção de pilares – Parte 2

Escrito em 24/05/2017, por Engª Micheli M. Mohr Koerich Categoria: Novos recursos Tags:

Finalizada a 2º etapa de desenvolvimento do novo recurso que permite que o usuário encontre a seção mais econômica para os pilares do projeto. Nesta etapa, a antiga guia Otimização na planilha de dimensionamento de pilares em prumada foi renomeada para Uniformização armadura e foi incluída uma nova guia Otimização seção. Também foi criado um novo comando para aplicar automaticamente a seção otimizada para os lances do pilar.

Ao editar a seção de um pilar na guia Otimização seção, o programa guarda automaticamente os dados da seção anterior e informa ao usuário o custo desta, da nova seção adotada e a diferença entre as duas opções. Estas informações facilitam a verificação e escolha das seções com base no custo e que ao mesmo tempo atendam as verificações de dimensionamento.

Figura 1 – Nova guia Otimização seção na planilha de dimensionamento de pilares em prumada

Figura 1 – Nova guia Otimização seção na planilha de dimensionamento de pilares em prumada

Com a guia Otimização seção ativa, o programa disponibiliza 2 comandos para auxiliar no processo de otimização do custo de pilares:

  • Avaliar seções do pilar: comando com o objetivo de avaliar o custo de todas as seções permitidas para o pilar selecionado na planilha e apresenta um relatório com os custos de cada variação, destacando a seção de menor custo. Funcionamento conforme publicado no post Otimização da seção dos pilares – Parte 1.

  • Aplicar otimizações seção: Este comando permite avaliar e aplicar automaticamente a seção mais econômica do pilar selecionado na planilha ao longo de sua prumada, de acordo com os critérios pré-definidos pelo usuário.

Na janela Aplicar otimizações consta a sequência de pavimentos em que o pilar foi inserido no projeto e os critérios que o usuário deseja estabelecer para que seja obtida a melhor seção do pilar selecionado.

Figura 2 – Janela para aplicação da otimização do pilar selecionado

Figura 2 – Janela para aplicação da otimização do pilar selecionado

Com este comando, ao rodar o processo de otimização o programa adota para os lances selecionados a seção mais econômica do pilar conforme o critério escolhido:

  • Melhor proporção no conjunto: Busca uma variação comum de seção que proporcione uma maior economia para os lances selecionados. Ou seja, o programa aumentará e reduzirá a seção do pilar selecionado na mesma proporção. Por exemplo, ao selecionar um pilar com seção variável ao longo da altura e configurar uma variação de 5 cm na altura, serão verificadas as seções acrescentando ou diminuindo 5 cm mantendo a proporção na prumada. Neste critério será adotado o resultado com maior economia e sem perder a proporção.
  • Buscar seção padrão: Busca uma seção única para os lances do pilar selecionado, ou seja, será adotada uma mesma seção para todos os lances que obtiver o menor custo, respeitando os critérios de otimização configurados.

Além destas opções, foi adicionada a configuração “Economia mínima para alterar” que tem como objetivo adotar a seção mais econômica somente quando a economia obtida for maior que o valor configurado.

No exemplo abaixo, temos um pilar que foi lançado em uma prumada com 6 lances, tendo sido definido com seção de 20×40 cm. Para este exemplo foi aplicado o processo de otimização utilizando o critério “Buscar seção padrão”. O programa aplicou automaticamente a seção comum 22×35 cm visto que tal seção gerou uma economia de 17,62% na prumada, atendendo ao critério de Economia mínima para alterar de 5% que havia sido previamente configurado.

Note que neste relatório o programa apresenta a seção antes do processo de otimização, a seção ótima isolada e a que foi adotada após o processo de otimização.

Figura 3 – Relatório de otimização dos lances do pilar

Figura 3 – Relatório de otimização dos lances do pilar


  1. CONSOLIDA ENGENHARIA E ASSESSORIA LTDA - EPP disse:

    Perfumaria, esperamos que o próximo release (e que seja rápido por sinal, porque o atual está dando MUITO problema) venha com investimentos onde o eberick realmente está desfalcado, que é na análise estrutural, mais precisamente falando, no pórtico espacial e grelha, que deveriam ser mais livres para alteração do usuário assim obtendo uma análise mais condizente com comportamento real da estrutura.

    ?
    • Engª Karine Cunha - Dpto de Produtos AltoQi disse:

      Boa tarde Consolida e Boris,
      O pórtico e a grelha são modelos para representar o lançamento da estrutura. Se possível enviem exemplos onde gostariam de editar a grelha ou o pórtico e o resultado desejado para que possamos verificar qual a situação.

      ?
      • CONSOLIDA ENGENHARIA E ASSESSORIA LTDA - EPP disse:

        1- As barras das grelhas maciças deveriam ter uma origem a partir do ponto 0,0 do desenho, assim as barras sempre ficariam contínuas em lajes engastadas diminuindo picos de esforços.
        2- Erro “espaçamento de grelha não adequado”, primeiro, não apontar aonde está o problema, sendo possível duas soluções, melhorar o encontro automático da grelha com os pilares, ou possibilitar que possamos alterar manualmente a posição e seção das barras na grelha. Para uma laje plana maciça depois de “chutar” o espaçamento várias vezes, tive que fazer o projeto com espaçamento de 12×12, além do tempo para o processamento da estrutura ter ficado gigante, o eberick dava erro de tempo em tempo, fechando o programa, situação ótima para trabalhar.
        3 – Livre alteração nas nervuras, incluindo é claro nervuras justapostas, ou trechos maciços livres. Na situação da terceira imagem, vou utilizar uma região maciça na vertical de 30cm (3 nervuras justapostas) entre os dois pilares, porém como a região maciça não se unifica ao capitel (não fazendo sentido algum) não posso criar essa situação dentro do eberick, tendo que recorrer a outros softwares de análise. Além disso, iniciar a laje sempre com nervura (em todos os seus cantos) também não é possível, divergindo do comportamento real da obra.

        ?
      • CONSOLIDA ENGENHARIA E ASSESSORIA LTDA - EPP disse:

        1- O pórtico poderia ser carregado primeiro sem nenhuma solicitação, apenas as barras, assim a geração do modelo seria muito mais rápida. Junto a isso, os esforços carregados pelo eberick deveriam ser apenas dos elementos apresentados, se for escolhido para apresentar apenas um pavimento, não é necessário carregar os esforços do prédio todo, isso gasta um tempo gigantesco sem necessidade alguma.
        2- O botão que permita apresentar apenas parte da estrutura não está funcionando mais nesse novo realese. (imagem anexa)
        3- Deveria ser possível escolher o caso de carregamento isolado (vento 1 vento 2 peso próprio etc…) e também a envoltória dos elementos, principalmente das vigas.
        4- Voltar o modelo de pavimentos isolados, e incluir o efeito de vento pelo pórtico. Primeiro, corretamente avaliado, ele segue sim as prescrições da NBR, e pode não ser utilizado como modelo final, mas é ótimo para avaliar como as deformações estão atuando no modelo completo e ter ideia do valor de rigidez axial necessário.
        5- Possibilidade de um pavimento ser repetido várias vezes, não copiar o croqui, isso faria com que o edifício fosse processado muito mais rápido (um pavimento repetido 10 vezes só precisa de 1 processamento de grelha). O processamento das barras das vigas fariam uma envoltória entre todos os pavimentos repetidos.

        Todos esses tópicos, entre outros, já foram abordados no brainstorming

        ?
  2. BORIS disse:

    Concordo plenamente com o colega da Consolida.

    ?
  3. FABIO BANDEIRA PADOVANI disse:

    Boa Noite, de acordo com os comentários da Consolida. Espero melhores ajustes na geração de pranchas, textos sobrepostos, ancoragem dentro da forma entre outros. Já dediquei um bom tempo na tentativa de configurar e nada.
    Temos algum tutorial para o cálculo da alvenaria no V10 ?

    ?
    • Engª Karine Cunha - Dpto de Produtos AltoQi disse:

      Boa tarde Fabio,
      Envie os exemplos referente aos ajustes geração de pranchas, textos sobrepostos, ancoragem dentro da forma para que possamos verificar e registrar as solicitações.
      O tutorial do Alvenaria está disponível no Eberick, menu Ajuda – Tutoriais – Elementos gerais – Dimensionamento de alvenaria estrutural

      ?
  4. GIUSEPPE disse:

    Essa melhoria não traz um ganho significativo aos nossos projetos. Gostaria de saber sobre a evolução da exportação do modelo estrutural do Eberik (não somente a geometria, mas também informações de detalhamento, esforços e materiais) em IFC.

    ?
    • Engª Karine Cunha - Dpto de Produtos AltoQi disse:

      Boa tarde Giuseppe,
      Neste release estão sendo colocadas informações adicionais na exportação do IFC do Eberick. Nas próximas semanas devemos ter um post com mais informações.

      ?
  5. GIUSEPPE disse:

    Também gostaria de saber sobre o detalhamento de vigas protendidas no Eberik, sem a utilização do ADAPT.

    ?
  6. TADEU disse:

    Realmente esse “recurso” é uma perfumaria desnecessária. Enquanto isso o recurso de igualar elementos, esse sim importante, vai ficando para trás. Não sei porque vocês fazem enquete com os usuários.

    ?
    • Engª Karine Cunha - Dpto de Produtos AltoQi disse:

      Boa tarde Tadeu,
      Da enquete atual, foi possível viabilizar 3 itens dentro dos 4 mais votados:
      1 – Possibilidade de especificar contraflechas em vigas – finalizado
      2 – Possibilidade de inserir furos verticais em vigas – finalizado
      3 – Detalhar armadura de punção com estribos – não foi possível viabilizar para este projeto
      4 – Ligação flexibilizada entre vigas e pilares de grandes dimensões – em andamento
      Nem sempre é possível viabilizar todos os itens sugeridos, mas buscamos atender a maior parte das solicitações.

      ?
  7. ROGER disse:

    Amigos, me pergunto se adianta fazer esses recusrsos de baixo impacto para a produtividade se ainda não corrigiram os seguintes erros GROSSEIROS:
    1-As alturas das pranchas de prumadas de pilares são quase sempre muito maiores na altura (ver anexo)!
    2-Os quantitativos das prumadas de pilares não correspondem aos pavimentos no resumo de aço!
    3-Ao aumentar o espaçamento entre elementos, o programa aumenta as margens sem a mínima necessidade!

    ?
  8. ROGER disse:

    O recurso é interessante para podermos fazer um rápido planejamento das seções dos pilares, mas no projeto real o que importa mesmo é a taxa de aço e de compressão, e não a seção isoladamente.
    Esse algorítmo precisa levar em consideração que qlguns pilares com carga centrada podem precisar de maior seção de concreto para absorver esforços verticais.
    Algo muito interessante seria a represenatação gráfica da taxa de carregamento dos pilares (kgf/cm²), tal como representado no anexo.

    ?
Os comentários estão fechados.

Dicas de acompanhamento do blog

Escrito em 19/04/2016

Para acompanhar as notícias e publicações no Blog preparamos uma série de opções de navegação no menu lateral que permitem filtrar os tópicos recentes, as publicações de cada categoria, as últimas notícias, entre outras.
Além disso, no rodapé do seu Eberick será apresentado o link de cada novo post publicado.
Você também pode receber de forma automática as novas publicações através das ferramentas de feeds do navegador de internet ou do seu e-mail.

Para receber as novidades por e-mail basta cadastrar os endereços abaixo:

×